quinta-feira, abril 10, 2014

Rapunzel Solidária. Eu participei.

Mudando totalmente o tema dos textos que costumo publicar no meu blog, hoje eu vou relatar uma experiencia.

Sigo no Facebook uma marca de shampoo chamada Utopia  que é de um salão chamado Bardot e vi um post que, dia 08-04 Dia Mundia do combate ao Cancêr, aconteceria uma ação iniciativa em parceria com uma ong chamada Rapunzel Solidaria.

Ficou bom? =D
Era "simples": ir lá e doar no minimo 17cm do seu cabelo para fazer peruquinhas para crianças e de quebra, ganhar um corte de cabelo.

Senti muita vontade de doar minhas madeixas e entrei em conflito interno: corto meu cabelo que já é um fuá por natureza para ele ficar um grande fuá? E fiquei entre a estética e a vontade de ajudar. Durante duas semanas pensando e pensando.

No dia da ação, decidi. Vou doar e foda-se. Meu cabelo cresce.

Liguei. Marquei. Fugi um pouquinho do trabalho e fui.

Quando o cabelereiro mediu os 17cm do meu cabelo ele perguntou "Tudo bem cortar aqui?" e eu fechei os olhos e disse "não quero ver, vim para doar".

E ai depois ele fez um corte. Btw, Se algum dia visitarem o Bardot, recomendo o Franco fortemente. Meu cabelo ficou incrivel.

Fiquei um pouco em choque porque ficou MUITO curto mas, a todo momento me dizia "bicho, seu cabelo cresce e foi por uma ótima causa".

Confesso, dei uma choradinha tb quando voltei para o trabalho. Foi como se tivessem cortado um pouco da minha força junto com o cabelo como na lenda de Sansão mas, ai eu pensei, porra... que essa força então vá para a menininha que vai usar um pedacinho de mim e que junto com as minhas madeixas vá um pouco de carinho e rock´n´roll.

Depois, passou.

E se eu tivesse mais cabelo eu daria mais.

Então, se você tem um cabelón bicho, 17cm não é nada.

Pense um pouquinho, ajude um montão. Olha que fácil:

Musica tema do post:

domingo, dezembro 15, 2013

Manifesto a 2013

E, hoje eu vou fazer outra coisa que eu (acho que) faço bem: escrever.

Ano passado eu chamei um texto desse gênero de "Carta aberta a 2012" pq eu achei engraçado estar em alta esse lance de "carta aberta" então hoje eu vou escrever um "Manifesto" para 2013.

Porra, que ano! Ano passado eu disse que esse ano ia ser foda e foi. Puta merda.

weeheeee \o/ 
Quando eu escrevi aquele texto, estava retomando as rédeas da vida. Esse ano muita coisa mudou (graças a Deus!!), descobri coisas que me magoaram mas, foram essenciais para uma coisa muito importante: a redescoberta da pessoa Ludimyla.

Sim, essa pessoinha de cabeça dura e personalidade que bunda-amoleceu por questões x, que foi contra seus princípios, que se magoou e descobriu que não valeu a pena. Quer dizer, valeu sim, valeu pra ver que não valeu a pena e onde não cagar de novo.

Percebi que eu não tinha mais as correntes para realizar os meus sonhos. Correntes que eu mesma me coloquei.

Fiz tanta coisa foda que é difícil listar tudo…

Vou tentar: Saltei de paraquedas (hello, 2014 teremos uma futura paraquedista), realizei um sonho e finalmente conheci Londres e me apaixonei (hello, 2015 bye bye Brasil), fiz todas as festas que eu quis no meu apartamento, me dei rosas quantas vezes eu quis e descobri que meu apê com rosas tem uma vibe mega legal, fiz trabalho voluntário e quero fazer de novo quantas vezes puder, cozinhei pra caramba, fiz experimentos gastronomicos deliciosos e arrisquei experimentar fazer drinks, troquei de trabalho e por isso conheci gente nova e fiz amigos deliciosos, me levei pra jantar e para beber e dançar, me maquiei mais, ouvi mais musica, li mais, me tatuei (BEM) mais, fiz 32 anos e WOW me sinto com 25 e dizem que pareço ter 25 (bjs genética! obrigada vovó), reencontrei amigos que não via há tempos, casei minha melhor amiga, parei com aquele negocio idiota de "vamos marcar" e nunca ir ou nunca marcar. Fui nos shows que quis (menos do que o normal mas, priorizei o que eu tava afim de verdade), fiz cursos de coisas malucas mas, que eu era mega afim de fazer...

Enfim…

Pode parecer um pouco arrogante ou egoísta mas, de fato 2013 foi o ano Ludimyla. E eu nem sei porque eu me desculpo afinal, não tem nada de mal em querer o próprio bem sem que pra isso você tenha que pisar no próximo. Não, não. Da para querer o proprio bem e querer bem todo mundo. ;)

Resolvi ser sincera sempre, não ficar questionando coisas da minha cabeça e pirar sozinha sem verbalizar, aceitei que os riscos estão ai e que a qualquer momento acaba tudo então, pra que se prender? Se acorrentar?

Aquela sensação de "quero ir! então vamo!" é MUITO BOA. De verdade. E vicia.

E, priorizei o que importava de verdade. Mesmo.

2014 tá ai com um potencial fodido e fecho 2013 com uma puta good vibe que é o que importa.

Tá ai meu manifesto. "Feliz Ano Novo!"

Post escrito ao som de madame Nina e que também pode ser considerada a música de 2013:


terça-feira, dezembro 03, 2013

Lollapalooza e o Nine Inch Nails

Eu gostei dessa ilustração =P 
Vamos tirar a teia de aranha do blog fazendo o que eu faço de melhor: reclamar.

Bom, que eu sou fã do NIN faz muito tempo (muito mesmo!) isso não é segredo e por anos e anos estive ansiosa por vê-los novamente.

Em 2005 no Claro que é Rock, tive que engolir quadrado 50 min de show por que aquela coisa medonha do Sonic Youth ficou lá fazendo o barulho que eles chamam de musica atrasando a apresentação do NIN que, por sua vez, teve que encurtar o show por que a bichona (sem mimimi de adjetivo pejorativo vai) do Iggy Pop não quis atrasar a sua "performance".

Ai, anunciaram um show só do NIN no Via Funchal.

Se bobear fui uma das 10 primeiras pessoas a comprar o ingresso que, infelizmente devemos ter sido só 10 pessoas a comprar o ingresso que na época custou 80 reais. E com muita dor no coração, fiz o reembolso de devolução do ingresso do show que não teve por FALTA DE PUBLICO.

Ok, os anos passam, o NIN fica "no limbo" (não pra mim, óbvio) e ai o Trent Reznor ressurge das cinzas fazendo a premiada trilha sonora do filme A Rede Social o que trás ele de volta aos holofotes e as pessoas começam a perguntar "Quem é esse cara?" e aos poucos, com a facilidade da internê descobrem que, tadá, ele é o vocalista do NIN e ai todo mundo passa a ouvir NIN. E ser fã do NIN. E nossa, olha, a mulher dele tb tem uma banda que ele produz tudo e blablabla ZzZzZzZzZzZz...

Ai você pergunta pra essa creyçada toda que deve ter na mesma playlist o Foo Figthers que foi a bandinha "in" de 2012 (assim como tivemos o Black Sabbath esse ano) com a caceta do NIN e mais uma lista de bandinhas da moda: "oh puxa, você gosta de Industrial??" Óbvio que, não sabem do que se trata e nem quais são as outras bandas dessa vertente que estariam na mesma playlist. Não vou citá-las aqui. Não não...

Oras, usem o google! Não é assim que funciona agora?

"Na minha época" (SIM minha época, deliciosa, sem precisar provar nada pra ninguem e sem encheção de saco e sem interwebs), fiquei dias e dias grudada na MTV (quando ainda era MUSIC Television) para gravar o clipe da A Perfect Drug que era como eu iria com o "Meu primeiro Gradiente", gravar a musica num k7 pra eu poder ouvir no meu quarto.

Enfim... eis que surge em 2014 a oportunidade de vê-los de novo. Quase 10 anos depois da unica apresentação que tive a oportunidade de ver que, já foi quase 10 anos depois de ter ouvido uma musica deles pela primeira vez. São quase 20 anos de "fãnatismo"... <3 p="">
E ai que, contra os 80 reais que eu ia pagar naquele show que não teve, em 2014 vou pagar (sim, já esta comprado) R$290 dinheiros brasileiros para dividir a minha banda do coração com um bando de gentinha.

E ai, que eu vou ter que dividir o MEU NIN com os lollapalosers e suas camisas xadrez e all star, pintados com o batom vermelho matte e os shortinhos de jeans lavados, com suas blusinhas cropped e suas botinhas imitações de uma doc marteen's.

Corram para baixar as discografias e decorar as letras ou ao menos aquele conhecimento minimo pra fingir que conhecem e que sabem quem é o Trent Reznor e o que é o NIN. Corram para comprar as camisetas da banda e "customizar" cortando as manguinhas para usar com shortinhos assim como tivemos o frisson do Black Sabbath que, até o Robert Downey Jr usar aquela maldita camiseta no Homem de Ferro, era só mais uma banda dos metalêro tru da Galeria do Rock.

Corram...vai... vai...

(agora divagando)

Ai que preguiça de vocês gente, é sério... "Gente". Tai o problema, eu tenho preguiça de gente.

O NIN podia tocar só para mim e meus amigos que eu sei que gostam de verdade e sabem quem são? Um bando de góticos velhos (como eu) que vão lá sofrer tb obrigados a engolir quadrado os lollapalosers.

Fué.

sexta-feira, setembro 13, 2013

Realizando um sonho - Londres.

Comecei um diário de viagem que acabei deixando de escrever no meio do caminho porque troquei lápis e caderno pelo Facebook. Comecei ele no, que depois se tornou, meu restaurante favorito de Kingston, o Jamie´s Italian do chef inglês Jamie Oliver.

Foi tão legal ver os amigos curiosos para saber das experiências e fazendo perguntas. Adorei a experiência não só da viagem é claro, que foi incrível, mas tb de relatar tudo.

Resolvi fazer essa viagem como realização de um sonho que, por um tempo foi distante e depois, de uma hora para a outra ficou tão perto. Tão perto que, depois de voltar senti que faltaram lugares para ir e agora, ansiosa para ir de novo e ver tudo o que não vi. Visitar mais, beber mais, comer mais…

Nessa viagem eu sabia que teria que praticar o desprendimento social e fazer tudo sozinha coisa que particularmente eu não gosto. Mas, para minha surpresa, foi incrível! Fiz tudo sozinha: comi sozinha, andei sozinha, me perdi sozinha, me achei sozinha, descobri um monte de coisa nova sozinha, sai sozinha, dancei sozinha, headbangueei sozinha, bebi sozinha e, fazendo tudo isso sozinha descobri que eu sou uma ótima companhia pra mim mesma. Tive a oportunidade de me conhecer bastante também e de conhecer pessoas novas. Não teve um só lugar que eu não tenha conhecido pessoas novas. E, ao contrário do que dizem, os ingleses são super simpáticos e atenciosos.

Foram 10 dias mágicos que a todo momento eu olhava em volta sem acreditar que eu estava do outro lado do mundo.

Obrigada a todos que me deram apoio para que isso acontecesse e que se empolgaram comigo de tal maneira que, mesmo sozinha eu não me sentia sozinha.

Agora, cidadã do mundo, ninguém e nada me segura.

Sei que foi tardia a postagem desse texto, um mês de atraso mas, tá ai.

Ano que vem teremos mais. MUITO mais.

Trilha sonora da minha viagem. 


segunda-feira, dezembro 31, 2012

Carta aberta a 2012

[Tirando as teias de aranha do meu blog]

Na verdade não tem nada de carta aberta mas, achei engraçado esse titulo.

Já fazia um bom tempo que eu não fazia retrospectivas e na verdade acho que nem quero voltar tanto tempo assim. Na verdade o que eu quero é olhar para frente.

Pensei em escrever, desencanei... Pensei de novo, comecei... Apaguei. Então, entendam como uma pequena reflexão.

Parece que nos anos que se passaram, eu vivi uma vida em metástase. Quase que no sentido literal da palavra e nos últimos dois meses, me senti viva de verdade. De novo. Em metamorfose. Em transformação, evolução. Liberdade.

Hoje, com 31 anos, vejo que eu tenho muita coisa para fazer. É tanta coisa que eu quero fazer...

E, antes de mais nada, um agradecimento a todos meus amigos. E áqueles que se tornaram meus amigos. No final das contas, é o que é tesouro para o resto da vida, os amigos. Todos os momentos em que eu precisei chorar, amaldiçoar, rir, beber… Não teve um só momento em que eu não pudesse contar com alguém para isso. Obrigada.

Minha familia, porra... Cada um, a sua maneira, me apoiou de maneira fantástica quando precisei.

Esse foi um ano de aprendizado. Mais aprendizado que conquistas. Foi um ano que eu, sinceramente, levei na barrinha amarela de energia. De verdade. Não recomendo.

Desejos e anseios todo mundo tem, e eu não vou passar por cima de ninguém para conquistar os meus. Tenho também é claro. Muitos inclusive. Quero e vou seguir a estrada do amanhã, das coisas boas. Quem quiser acompanhar, será bem-vindo.

2013 será o ano Löodimyla.
Assim como tivemos o ano do Dragão, esse será o ano Löodimyla. E será apenas o começo.

Pode parecer um pouco (ou muito) egoísta, mas é o que é. É o que eu quero, preciso e sinto.

Eu quero mais. Eu mereço mais. E, quero dividir esse mais com todos vocês. As conquistas, as vitórias, as coisas boas.

O que é ruim, a gente joga fora tal como roupa velha.

Desejo esse anseio por coisas boas para todos vocês em 2013. Se deixar de desejar, o mundo pára. A vida pára. A metástase acontece.

Não viva em metástase, sempre em metamorfose.

Feliz 2013! E good vibes sempre! ;)

Escrito ao som de Wife - Shards

domingo, novembro 20, 2011

SWU 2011 - Emoção e Estafa tudo junto ao mesmo tempo


Well, ano passado fiz um post sobre o SWU falando muito mal. Muito mal mesmo.

Tirei só um dia para ver o Queens of The Stone Age e me arrependi profundamente de ter feito isso. Passei nervoso logo na entrada, afinal 3hrs só pra entrar num festival é de acabar com o humor de qualquer pessoa.  O line-up dos 3 dias era composto de uma banda principal e restos, desorganização, equipe despreparada, etc. etc.etc., eu poderia listar 1000 razões para, quando soube que ia ter esse ano, dizer que não iria com a boca cheia.

Bem, apaguei a lingua.

Quando soube que no dia 14/11 teríamos Down, comecei a balançar… Mas ainda assim, não iria. Depois disseram que o FNM viria. Ok. Já tinha me satisfeito no Maquinária. E então, no mesmo dia confirma o Alice in Chains e o Stone Temple Pilots. De quebra, Megadeth.

Começou a valer a pena pagar os R$210 para ir até Paulínia correndo o risco de passar por tudo de novo.

Esse festival, com essas bandas confirmadas, teve um significado muito especial pra mim pois, logo após, seria o meu aniversário de 30 anos e todas essas bandas (entre outras tantas), fizeram parte da formação do meu carácter musical.

sexta-feira, outubro 07, 2011

RIP Steve Jobs


Aviso: a atualização será breve. 

Faleceu Steve Jobs, co-fundador da Apple aos 56 anos.

Morreu de câncer e o mundo já sabia que ele não estava bem. Na época em que ele se afastou, as ações cairam e foi um fuá.

Ai, esqueceram a pessoa Steve Jobs e focaram no iPhone.

Ok. Apple isso, mac aquilo, iPhone aquilo outro.

Então, lançaram o iPhone4S.

A timeline do meu twitter ficou dividia entre pessoas falando a respeito do aparelho, outros criticando o aparelho, alguns idiotas fazendo piadinhas e falando merda e por ai vai...

Então, Steve Jobs morreu.

quinta-feira, outubro 06, 2011

A moda da homofobia, bullying e preconceito


AVISO: Esse texto nada mais é que a minha opnião pessoal a respeito do assunto da qual eu tenho todo o direito de falar sobre. Quédizê, acho que eu ainda tenho esse direito. Ou é algum crime de alguma lei ridicula que eu não tô sabendo?!?

Hoje em dia QUALQUER COISA, sem exceção, ou é homofobia ou é bullying ou é preconceito.

Me revoltei quando vi uma noticia ontem no G1 e resolvi escrever uma baciada de coisas que fazem um puta frisson ridiculo em cima.

A manchete é a seguinte "Casal gay é agredido na região da Avenida Paulista" e vi inúmeros compartilhamentos a respeito da noticia. Aliás, só vi a noticia porque alguém compartilhou com a quote "mais uma vitima de homofobia".

segunda-feira, outubro 03, 2011

O Rock'n'Roll não morreu, mas o Axl tá com um pé na cova e outro no sabonete...


Aviso: esse post é só a transcrição dos devaneios que tive a respeito do assunto. 

É dificil falar sobre isso sem lembrar com saudade de quando eu tinha 12 anos.

Naquela época, o Gun´s & Roses era o crème de la crème das bandas de "rock" e não tinha aquela coisa xiita de ser hard farofa. Pelo contrário, era uma das bandas mais pesadas que eu já tinha conhecido. Diferente das bandas farofas da época.

Ganhei meu primeiro LP deles com 9 anos. Foi o Appetite for Destruction. Ficava horas olhando a capa e imaginando histórias, sem ainda entender direito pq tinha uma mocinha semi-nua com a calcinha abaixada.

Tomei gosto pela coisa e já um pouquinho mais velha, com uns 12 anos, já entendia bem as letras e me acabava de ouvir as musicas do Use Your Illusion I naquele misto de deprê e tesão ouvindo o Axl cantando "Don't Cry".


sábado, outubro 01, 2011

Leitte azedo falando merda, só aqui!!

Me "atualizando" do último fds do Rock'n'Rio vi em algum lugar que não lembro onde no Wiplash a baiana (com todo o sarcamo do mundo na palavra) Claudia Milk comparando os fãs de "rock" a nazistas num post mal escrito no blog dela. 

E não adianta querer "suavizar" a questão dizendo "ah mas ela só deu a entender"...

Olhando os comentários, você pode notar o mesmo desrespeito da qual ela choraminga no post que aconteceu com ela. E ai eu pergunto "onde é que está a diferença mesmo?!?"